Editorial


Revista Construir
Agosto/2009 - pág. 74 - 81

Arquitetura / Paisagismo

Requinte

A RUSTICIDADE, SEM DISPENSAR A ELEGÂNCIA, ESTÁ PRESENTE NO PROJETO.

É possível desenvolver uma casa com um aspecto rústico, sem abrir mão de certo refinamento nos acabamentos? Se você procurar o escritório Studio da Mata, na região serrana de Petrópolis, RJ, a resposta é sim. Os sócios Alexandre Sodré, Rita Ribeiro e a equipe do escritório cuidaram de todas as etapas da construção, inclusive da definição paisagística do lote. O resultado você vê agora nessa construção em Araras, RJ.

Durante a obra, a antiga casa de caseiro cresceu e transformou-se na de hóspedes, composta por duas suítes e uma saleta. Como extensão desse anexo, na sua parte frontal, um grande terraço com uma pérgula feita com estrutura de madeira jatobá substitui o antigo telhado da garagem e a liga à casa principal. Nessa área, há pinturas nas paredes externas, rodapé de caco de granito cinza e piso cerâmico, da Lepri.
O telhado original do sótão da casa principal foi elevado possibilitando um aproveitamento total do espaço. Lá, foram alocadas uma suíte de hóspedes e a suíte máster, pois os proprietários solicitaram mais cômodos aos profissionais. Ambas têm um terraço individual e circundam um pátio interno, localizado no primeiro piso.
Oferecendo conforto térmico aos ambientes nos dias frios, tijolos maciços de demolição e madeiras reaproveitadas das antigas fazendas da região foram reutilizadas nos pisos e paredes da casa. Até mesmo nos banheiros optou-se pelo assoalho rústico.
O clima serrano pede muitas lareiras, por isso, os profissionais planejaram a criação de uma área de convívio familiar só para a reunião envolta de um modelo construído com tijolos maciços de demolição. Há outra lareira revestida com pedra na suíte do casal. Ela possui emboço pintado de preto fosco, dando a impressão que é metálica.
Sobre o primeiro piso - onde está a área social - foi acrescentado o segundo pavimento. Isso exigiu um esforço estrutural na construção feito com vigas de madeira reaproveitadas de um galpão demolido. A marcação no teto atenuou o efeito do comprimento da laje. Para dar a aparência envelhecida ao local, há tijolos maciços de demolição nas paredes, pintura e textura nas colunas. No piso foram colocadas tábuas irregulares e com marcas do tempo de uma antiga fazenda.
A busca por materiais reciclados foi uma constante em todas as etapas da obra, que durou dois anos. As vigas e os tijolos de demolição estão presentes em vários ambientes. Além disso, uma grande área de refeição oferece convivência intensa entre os moradores. Ela está próxima do gramado e da piscina.










Estrada Bernardo Coutinho, 1861 - Araras - Petrópolis/RJ - (24) 2222-4634